Notícias

2018-06-18 10:22:42

Reflexões sobre empreendedorismo

No que diz respeito à “movida empreendedora”, o nosso país mudou radicalmente nos últimos anos.  Lembro-me de muitas vezes em intervenções publicas em 2013, 2014, referir que em Portugal havia demasiadas pessoas a falar de empreendedorismo e eu era com certeza uma delas. Mas, independentemente de num dado período de tempo ter acabado por perpassar a ideia que empreendedorismo era igual a criação de empresas e que o empreendedorismo era a panaceia para todos os  males do país, é um facto que temos hoje um ecossistema empreendedor relativamente robusto, se o comparamos  com o panorama há uma década atrás (não é preciso ir mais longe). No âmbito deste ecossistema padecemos hoje de um mal muito luso que é o choradinho em relação à nossa escassa dimensão em relação ao que se faz em alguns países da Europa (Inglaterra, Holanda, Alemanha, por exemplo) e da América do Norte (Canadá e fundamentalmente Estados Unidos, para muitos o Santo Graal do empreendedorismo e o modelo a copiar ignorando as profundas diferenças entre os dois países). Mas … temos o que temos e estamos claramente em evolução.



Gostava apenas de aproveitar este artigo para falar de alguns tópicos que mesmo que muito glosados não deixam de ser fundamentais:


- Se estamos aos poucos a vencer a batalha de criar uma geração com mais mundo, mais capacidade de correr riscos e mais capacidade de empreender por conta própria, continuamos a não ter uma “movida intra-empreendedora” suficientemente interessante e potenciadora do crescimento das empresas. Continuamos a associar em demasia a palavra empreendedorismo ao acto de ter uma ideia e criar uma empresa (empreendedorismo externo) mas necessitamos claramente que esta geração entre nas empresas já existentes e seja empreendedora, tenha capacidade de provocar a mudança por dentro, não tenha medo de por vezes ser o elefante na loja de porcelana. É redutor olharmos para o empreendedor apenas como alguém que cria empresas e negócios !  Insto os jovens a irem para as empresas e … empreenderem com o dinheiro de outros ou seja, tornem-se empreendedores nas empresas por onde passam e não se limitem a guardar as vossas ideias e o vosso potencial para quando criarem uma empresa;


- tenho visto com alguma preocupação que para muitos jovens que empreendem criando os seus próprios negócios, o nirvana é atingido quando arranjam um investidor. Como diz um bracarense que muito prezo e que é um dos grandes responsáveis por esta onda de jovens empreendedores que varre o nosso pais, o objectivo de uma empresa é ter clientes e satisfazer esses clientes e não ter investidores. Uma empresa vive de clientes e não de investidores, não deixando estes de ter naturalmente o seu papel. Como Business Angel que sou e investidor em cerca de uma dezena de empresas, sei qual é o meu papel e o das sociedades de investimento de que faço parte e é com pleno conhecimento de causa que refiro esta distorção que cada vez mais se vai sentindo : a existência de jovens/projectos que são profissionais de concursos de empreendedorismo (sem nunca terem vendido 1€, meses e anos depois de “arrancarem” com  o projecto) e como investidor  percepciono por vezes que tudo o que me é apresentado, os pitch deck que são feitos,  não têm sustentabilidade que vá além do dia da captação do investimento. Volto a repetir : lutem por clientes pois os investidores e o seu funding são um meio e não um fim para o projecto;


- uma penúltima nota tem a ver com a tipologia dos projectos. A maioria dos projectos que me apresentam são do “tipo gazela” ou seja projectos que de um momento para o outro podem ter um crescimento fantástico e uma brutal subida na sua avaliação. Todos procuramos estes projectos, em teoria, mas na prática, são muito poucos (pouquíssimos) os projectos gazela que têm sucesso. É obvio que são esses projectos que criam buzz na imprensa e nas redes sociais, mas a taxa de mortalidade desses projectos é estarrecedora. Por isso, pensemos que há lugar para projectos deste género, mas é importante que não nos esqueçamos que haverá sempre lugar para projectos que podem nunca vir a ter crescimentos vertiginosos mas poderão ser sempre apostas firmes para os seus promotores e investidores. Em sociedades de investimento como aquelas a que estou ligado, procuramos sempre ter no nosso portfolio projectos que possam vir a proporcionar exits com óptimos multiplicadores, mas também (e cada vez mais, friso) olhamos para projectos sólidos, como boas equipas e com escalabilidade global feita de forma realista.

Para finalizar,  coloco aqui uma pergunta que muitas vezes me fazem, como investidor : quais as razões que o (me)  levam a investir num projecto ? Sendo obvio que existe algo que está subjacente a tudo que é a minha capacidade como investidor que tem naturalmente balizas bem definidas, há quatro razões que são fundamentais : em primeiro lugar a equipa, em 2º lugar a equipa, em 3º lugar a equipa e em 4º lugar a ideia/projeto.


Empreendam!!! 



Pedro Fraga

Fundador e Administrador da F3M - Information Systems S.A, accionista e administrador da Braincapital, Braininvest e Braintrust, sociedades destinadas ao investimento em startups.

 

Artigo de opinião elaborado no âmbito da revista Get Started Nº3 | Projeto LIFTOFF

 

Não é autorizada a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização do autor e do LIFTOFF.

Ler Mais

2018-06-15 19:22:58

Get Started Nº 3

LIFTOFF - Gabinete do Empreendedor da AAUM apresentou, em 2015 e 2017 uma revista em torno da temática do empreendedorismo em formato impresso e formato digital que regressou em 2018!

 

A revista Get Started tem como objetivo principal produzir conteúdos educativos e de discussão em torno do empreendedorismo, enriquecendo assim o pensamento crítico dos leitores, em especial da comunidade académica da Universidade do Minho. Pretende-se partilhar a experiência e o percurso de empreendedores bem como expandir o conhecimento em relação ao tecido empresarial da região.

 

Apesar de amplamente disseminada, esta é uma temática que tem sempre muitas questões por esclarecer. Esta nova revista vem permitir mais um espaço de discussão. 

 

A listagem dos artigos poderá ser consultada aqui: 

 

Reflexões sobre Empreendedorismo | Pedro Fraga | Fundador e Administrador da F3M e accionista e administrador de diversas sociedades destinadas ao investimento em Startups.

 

Inovação nos Controlos de Gestão | Wendy Carraro | Contadora, Economista, Especialista em Controlo de Gestão com uma experiência de mais de 20 anos nas áreas de contabilidade, financeira, de planeamento, gestão de pessoas e sistemas de informação.

 

Os Desafios dos Empreendedores de HojePaulo Cadeia | Responsável pelo CAR-IDT (Centro de Alto Rendimento do CITEVE) uma incubadora orientada a empresas têxtil de cariz tecnológico.

 

O Mundo está a Mudar!Joana Barbosa | Técnica de Projetos de Empreendedorismo na AEP - Associação Empresarial de Portugal.

 

A era do "entrepreneurial boom"Rui Pinheiro | Criador do blog o Empreendedor Bracarense e responsável pelas parcerias e produção de eventos na aceleradora Startup Braga

 

Fórmula secreta para um negócio de sucessoLígia Rodrigues | Professora Auxiliar com Agregação na Universidade do Minho. Investigadora nas áreas de sintética, biotecnologia alimentar e industrial, diagnóstico e prevenção do cancro.

 

Uma sociedade empreendedora e sustentávelNuno Reis | Presidente da Associação Académica da Universidade do Minho

 

Ler Mais

2018-05-25 18:23:58

Working Ideas

Queres trabalhar uma ideias de negócio?!

Então tens de participar na 8ª edição do Working Ideas!

 

Este projeto pretende incentivar/impulsionar a conceção e desenvolvimento de ideias de negócio através de empreendedores organizados em equipa.

Este ano possibilitamos a participação de forma individual ou em equipa*! Podes inscrever-te mesmo que não tenhas uma ideia, só precisas de ter espirito empreendedor, capacidade de iniciativa e muita vontade de participar!

 

Serão selecionados participantes com diferentes competências e para as participações individuais serão formadas equipas em função dos contributos que cada elemento poderá dedicar a cada projeto.

 

Formadas todas as equipas, é altura de deitar mãos ao trabalho! Desenvolvem-se competências, analisa-se a ideia e estrutura-se um modelo de negócio. Tomadas as decisões, está criado um conceito e uma estratégia de negócio que vai ser necessário defender com "unhas e dentes".

 

Ao longo de todo o processo, terás o acompanhamento e apoio de vários mentores, formadores e especialistas, cujo conhecimento e experiência serão um contributo fundamental para melhorar o projeto de cada grupo.

 

Programa

9 e 10 de junho | Kick-Off 24 horas | Maratona de desenvolvimento de ideias de tema livre;

+ Workshops/Mntoria | durante as 2 semanas seguintes:

12 de junho | 15:00 | Workshop Viabilidade de Negócios;

15 de junho | 15:00 | Sessões de Mentoria;

20 de junho | 15:00 | Workshop de Pitching;

22 de junho | 15:00 | Sessões de Mentoria;

 

Nos restantes dias da semana asseguramos-te um espaço para trabalhares!

Poderás ainda contar com uma linha de apoio com respostas a todas as tuas dúvidas dadas por consultores empresariais especializados, durante as duas semanas do evento!

 

Destinatários

Podem participar neste programa estudantes do Ensino Superior Português, público ou privado, toda a comunidade com espírito empreendedor, ideias, motivação criatividade e/ou capacidade de iniciativa.

 

Regulamento

O regulamento poderá serconsultado AQUI.

 

Inscrições

https://workingideas2018braga.eventbrite.pt

Ler Mais

2018-04-12 16:55:50

Medidas Ativas de Emprego

A sessão "Medidas Ativas Emprego" está inserida na 9ª edição da STARTPOINT@UM e, irá decorrer no dia 17 de abril das 11:30 às 12:15, no Anfiteatro B1.12 da Grande Nave no Campus de Azurém da Universidade do Minho.

 

 

Breve descrição da sessão:

Apresentar a medida Estágios Profissionais e INVESTE JOVEM, para além de breve discussão sobre competências empreendedoras

 

 

Dinamizador:

Diretora do Centro de Emprego do Médio Ave, Mestre em Gestão de Recursos Humanos (Escola Economia e Gestão UM), Licenciada em Sociologia das Organizações (ICS – UM

 

Inscrições: 

 

https://a.beamian.com/#/event/startpointum

 

Estás à espera de quê?! Marca na agenda e inscreve-te já! 

Ler Mais

2018-04-12 16:42:03

Mobilidade Profissional em Contexto Europeu

A sessão "Mobilidade Profissional em Contexto Europeu" está inserida na 9ª edição da STARTPOINT@UM e, irá decorrer no dia 17 de abril das 10:30 às 11:15, no Anfiteatro B1.12 da Grande Nave no Campus de Azurém da Universidade do Minho.

 

 

 

Breve descrição da sessão:

1- Eures: objetivos, âmbito de atuação e canais de prestação de serviços

2- Funcionamento da Rede Eures como livre serviço de emprego

3- Instrumentos para construir um projeto consistente de mobilidade profissional ao nível do espaço económico europeu

4- Apoios à mobilidade na Europa

 

 

Dinamizador:

Carmen Lopes - trabalha no IEFP,IP  em Braga como Conselheira Eures, prestando informação e orientação a qualquer cidadão que pretenda beneficiar de princípio da livre circulação de pessoas. Também proporciona o serviço de recrutamento/colocação (adequação da oferta e da procura de mão-de-obra), tanto aos candidatos a emprego como aos empregadores interessados no mercado de trabalho europeu.

 

 

Inscrições: 

 

https://a.beamian.com/#/event/startpointum

 

Estás à espera de quê?! Marca na agenda e inscreve-te já! 

Ler Mais