Notícias

2018-07-17 15:19:08

O Mundo está a mudar!

Get Started Nº 3

Está satisfeito com o desempenho do seu projeto empresarial?

Desenvolveu ou implementou alguma inovação na última semana? No último mês? Então e no último ano?

Que resultados obteve? Lembre-se que o não pode ser medido não pode ser gerido.

Observa outras empresas/empreendedores? O benchmarking é crucial independentemente da fase em que se encontra a sua ideia de negócio ou o seu projeto empresarial.



A imprevisibilidade é extraordinária. Não temos ideia de como será o mundo daqui a 3 anos mas queremos educar os nossos jovens para estarem prontos para o mercado de trabalho dessa altura, dedicamo-nos a pensar em produtos/serviços que gostaríamos de lançar no futuro, tentamos prever o que nos será comprado e o que será rejeitado. Independentemente de todo o contexto de incerteza em que esta se desenrola, a inovação é algo crucial e todos nós apreciamos o seu valor. "Inovar ou não Inovar?" deixou de ser uma dúvida. A verdadeira pergunta que deve colocar é "Como Inovar?".

 

Implementar novas ideias que gerem valor é inovação e este tem fortemente associado a si componente da criatividade. Até aqui talvez todos concordemos, mas será que estamos de acordo quanto ao facto de a criatividade ser tão importante como a literacia e de que devem ser tratadas ao mesmo nível? Ken Robinson - escritor, palestrante e consultor internacional em educação – defende esta ideia e acrescenta que as escolas estão a educar sem atender à capacidade criativa das pessoas. Porém, se não temos o poder de alterar o nosso sistema de ensino temos, certamente, a capacidade de incluir a criatividade e inovação nas nossas atividades.


Mas, num mundo em constante mudança, como podemos inovar?


1º Passo: Observando as tendências.

Veja em que sentido o mercado caminha, quais as preferênciais atuais dos consumidores, perante que produtos/serviços eles mostram ter maior interesse e quais as formas de comunicação e de distribuição a que são menos avessos. Só estando atento ao que o mercado lhe diz poderá identificar uma real oportunidade de mercado e inovar.


2º Passo: Mudando Mentalidades.

Estamos numa nova era - a era da criatividade - caracterizada disciplina, multidisciplinaridade, velocidade, diversidade, qualidade de recursos (humanos e não só), aprendizagem com a crítica e um pensamento global. Parece difícil de acompanhar? Talvez seja mais fácil se encarar a inovação como um desporto de equipa onde há grande colaboração. Adapte-se!


3º Passo: Sabendo contornar as regras.

Pense fora da caixa. Porque tem que fazer o que toda a concorrência faz? Só porque funciona?

 

Uma miúda estava a desenhar na aula e o professor perguntou:

- O que estás a desenhar?

- Deus.

- Mas ninguém sabe como Deus é.

- Vão saber daqui a uns minutos.

 

As crianças arriscam, não têm medo de estar erradas. Os adultos perdem esta capacidade e passam a ter medo de errar. Ainda que sem máquina do tempo, recue uns anos da sua vida e resgate o espírito mais arrojado que se perdeu no seu crescimento. 


4º Passo: Acreditanto na mudança constante.

"Tudo o que podia ser inventado já foi inventado". Charles Duell, comissário dos escritórios de patentes dos EUA, 1899.

"A TV nunca será concorrente da rádio porque as pessoas precisam de se sentar e fixar os olhos e a família americana não tem tempo para isso." NY Times, 1939.

Evite este tipo de pensamento e lembre-se sempre que "a melhor forma de prever o futuro é criando-o" (Peter Drucker).


5º Passo: Estando apto para a geração de ideias.

Como?

Procure resolver problemas de mercado, combine e recicle o que já é feito, evite que algo bom termine, elimine o impossível, não mate as ideias à nascença! Invista no brainstorming.


6º Passo: Procurando pessoas a quem Guy Kawasaki chama de almas gémeas.

Procure envolver pessoas que gostem tanto da sua ideia de negócio/projeto empresarial como você. Mas há algo em que essas pessoas devem estar a outro nível: devem ser melhores que você e isso é algo que não deve temer e muito menos evitar.

 

7º Passo: Ouvindo

Confie na sua equipa, ouça as suas deias. E se de capacidade de ouvir se fala não podemos deixar de reforçar que o cliente não tem sempre razão mas deve ser ouvido.

 

8º Passo: Tendo em conta o contexto

Atenção que o que funciona na Google pode não funcionar na sua empresa.

 

A inovação nunca é fácil, mas é sempre possível.

 

 

Joana Barbosa


Licenciada em Economia na Universidade do Minho foi também nesta entidade que conluíu o Mestrado em Economia Industrial e da Empresa. Foi com o estágio profissional no LIFTOFF - Gabinete do Empreendedor da AAUM, onde mais tarde ficou como técnia responsável, que consolidou o gosto pelo mundo do empreendedorismo. Durante muito tempo aliou este cargo à Investigação no NIPE (Núcleo de Investigação em Políticas Económicas, Escola de Economia e Gestão , Universidade o Minho) tendo anteriormente desempenhado o papel de formadora também em temáticas relacionadas com o empreendedorismo. Atualmente, a par da investigação mantém a ligação a esta área  sendo um dos elementos da equipa responsável pelo projeto Novo Rumo a Norte da Associação Empresarial de Portugal e uma das mentoras da Rede Nacional de Mentores do IAPMEI.


Artigo de opinião elaborado no âmbito da revista Get Started Nº3 | Projeto LIFTOFF

 

Não é autorizada a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização do autor e do LIFTOFF.